clique para ir para a página principal

Sessão inicia com queda para as bolsas chinesas em meio aos dados de vendas no varejo

Atualizado em -

Sessão inicia com queda para as bolsas chinesas em meio aos dados de vendas no varejo Standret/Freepik
► B3 fecha em queda de -0,19% influenciada por noticiário econômico americano► Guedes: "Há momentos de estresse, mas ambiente é de cooperação"

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Nesta quarta-feira (15), os principais mercados mundiais operam perto da estabilidade, enquanto a sessão foi de queda para as bolsas chinesas em meio aos dados de vendas no varejo e de produção industrial, confirmando desaceleração ao virem mais fracos do que o esperado, impactados pela variante Delta do coronavírus.

Enquanto isso, a inflação nos países desenvolvidos segue no radar dos investidores. O CPI, ou a inflação ao consumidor americano, de agosto, divulgado ontem, veio abaixo do esperado, mas ainda em patamar bastante elevado. Já o dado do Reino Unido, divulgado hoje, mostrou o maior número em nove anos.

Por aqui, na última terça-feira (14), as declarações de Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central – destacando que a instituição elevará a Selic para onde for necessário, mas não irá alterar seu plano de voo a cada número de alta frequência que sair -, levaram casas de análise a ajustarem as suas expectativas de alta de juros para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) na próxima semana.

Internacional

Sobre os mercados mundiais, nos EUA o índice futuro Dow Jones indica queda de 0,01%, enquanto os índices futuros S&P 500 e Nasdaq indicam altas de 0,09% e 0,20%, respectivamente. Ontem, o Dow Jones caiu 0,8%, em meio a temores de investidores quanto ao ritmo de recuperação econômica e as próximas medidas a serem adotadas pelo Federal Reserve. Na segunda-feira (13), o índice havia tido alta, interrompendo uma sequência de cinco quedas. Também na terça-feira, o S&P recuou 0,6%, e o Nasdaq perdeu 0,5%. Foi o quinto dia de perdas consecutivas para o Nasdaq. E em seis dos últimos sete dias o Dow registrou perdas.

O mês de setembro é, historicamente, negativo para as bolsas americanas, que registram em média queda de 0,56% no mês desde 1945, segundo dados da CFRA. Ainda ontem, foi divulgada uma alta menor do que o esperado para a inflação no país em agosto. O índice de preços ao consumidor teve alta de 5,3% em relação a um ano antes, e de 0,3% em julho. Quando se excluem alimentação e bebidas, o índice teve alta de apenas 0,1% no mês. A alta ficou abaixo da estimativa, mas ainda assim indica que a inflação está forte nos Estados Unidos.

Papéis ligados à recuperação econômica após a pandemia de Covid tiveram quedas na terça-feira. Este foi o caso das ações da United Airlines, que perderam 2,1%; o Bank of America perdeu 2,6%; e a General Eletric recuou 3,9%.

As bolsas asiáticas tiveram em sua maioria quedas nesta quarta, com investidores reagindo à divulgação de dados sobre vendas no varejo relativos a agosto na China, que indicaram ritmo muito mais lento do que o esperado, de 2,5%, frente a 7% antecipados por analistas ouvidos pela agência internacional de notícias Reuters. A produção industrial cresceu abaixo da expectativa, em 5,3% em agosto, frente à expectativa de alta de 5,8%. Em Hong Kong, o índice Hang Seng perdeu 1,6%.

Ações do setor de cassinos tiveram fortes perdas em meio a temores sobre regulações mais rígidas, após Macau iniciar uma consulta pública sobre jogos. Na China continental, o Shanghai composto recuou 0,17%; no Japão, o Nikkei recuou 0,52%; e na Coreia do Sul, o Kospi avançou 0,15%.

Na Europa, o índice Stoxx 600 tem uma leve alta, com destaque negativo para ações do setor de viagem e lazer, que têm queda de 1,1%, enquanto aquelas do setor de petróleo e gás avançam 0,6%. Investidores se mantêm atentos para as eleições de 26 de setembro na Alemanha, que definirá a sucessão da chanceler Angela Merkel. As pesquisas indicam que a disputa está acirrada e o resultado é incerto. No Reino Unido, a inflação subiu 3,2% em agosto em relação ao mesmo mês do ano anterior, após uma alta de 2% em julho na mesma comparação, de acordo com dados do Escritório para Estatísticas Nacionais. Foi o maior patamar em nove anos. Além disso, o avanço de 1,2 ponto percentual em um mês foi o mais forte desde o início do registro dos dados, em 1997.

Também nesta terça-feira o Instituto para Finanças Internacionais (IFF na sigla em inglês) afirmou que a dívida global cresceu ao patamar recorde de US$ 300 trilhões no segundo trimestre. Mas a relação entre dívida e PIB recuou pela primeira vez desde o início da pandemia da Covid-19.

Brasil

No Brasil, o último pregão de ações encerrou com queda de 0,19%, a 116.180 pontos com volume financeiro negociado de R$ 25,511 bilhões. Enquanto isso, o dólar comercial fechou em alta de 0,65% a R$ 5,257.

Os jornais seguem a repercussão das falas de Roberto Campos Neto de ontem. O presidente do BC disse que elevará a taxa Selic ‘onde precisar’ para o controle da inflação, mas que ‘não mudará o plano de voo da política monetária’. Paulo Guedes, ministro da Economia, por sua vez, disse que a não aprovação da reforma do Imposto de Renda, possível fonte de financiamento para o novo Bolsa Família, poderia significar a reedição do auxílio emergencial pelo governo. O ministro também reforçou que tem mantido diálogo com o Legislativo e o Judiciário para a solução dos precatórios no orçamento.

Commodities

Sobre as commodities, o petróleo Brent é negociado com alta de 1,22%, a US$ 74,50 o barril. Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian (China) registram queda de 2,94%, cotados a 692,5 iuanes, equivalente hoje a US$ 107,64 (nas últimas 24 horas).

Corporativo

No contexto das corporações, o Grupo Soma (SOMA3) informou por meio de fato relevante à CVM que a combinação de negócios com a Cia Hering (HGTX3), anunciada em abril, foi aprovada em assembleias das duas companhias na última terça-feira (14). Na sequência seu conselho de administração se reuniu e decidiu pela confirmação do cumprimento das condições suspensivas previstas no Acordo de Associação e no Protocolo e Justificação da Operação. Também confirmou o valor da parcela em dinheiro a ser pago aos acionistas da Hering, após os ajustes previstos no acordo, no montante de R$ 9,5415843 por ação ordinária. Esse valor equivale, portanto, a R$ 7,9153303 por ação preferencial resgatável de emissão da Cidade Maravilhosa Indústria e Comércio de Roupas a ser recebida pelos acionistas da Hering.

Além disso, o Conselho de Administração da Bradespar (BRAP4) aprovou aumento de capital da companhia em R$ 1,66 bilhão. Companhia afirma que o aumento com bonificação de ações, tem objetivo de aumentar liquidez dos papéis e tornar a ação atrativa para mais investidores.

Por fim, a Arábia Saudita suspendeu importações de carne bovina oriundas de cinco frigoríficos do Brasil, que registrou dois casos atípicos de “vaca louca” no início deste mês, informou o Ministério da Agricultura, ontem. Segundo a pasta, as cinco plantas estão em Minas Gerais, Estado em que um dos casos de vaca louca foi identificado. A segunda ocorrência da doença foi registrada em Mato Grosso.

Relacionados:

► B3 fecha em queda de -0,19% influenciada por noticiário econômico americano► Guedes: "Há momentos de estresse, mas ambiente é de cooperação"

Leia mais: