clique para ir para a página principal

Bill Gates levanta US$ 1 bilhão para financiar projetos de energia limpa

Atualizado em -

Bill Gates levanta US$ 1 bilhão para financiar projetos de energia limpa GettyImages
► Brookfield receberá R$ 1,4 bi do BNDES para financiar o maior complexo de energia solar da América Latina► Petrobras planeja neutralizar emissões de gases do efeito estufa de suas operações

Nesta segunda-feira (20), a organização criada por Bill Gates, CEO da Microsoft, chamada Breakthrough Energy, anunciou que levantou mais de US 1 bilhão (cerca de R$ 5,3 bilhões) de sete empresas, dentre elas Arcelor Mittal, Black Rock e General Motors, com o objetivo de financiar projetos de energias limpas.

O nome da iniciativa da organização é chamada de ‘Catalyst’, e dentre os primeiros participantes do projeto estão American Airlines, Bank of America, Boston Consulting Group e a empresa do próprio Bill Gates, Microsoft.

Segundo a agência de notícias AFP, os valores captados serão disponibilizados na forma de subsídios, cotas e compromissos de compra das tecnologias desenvolvidas.

A iniciativa de Gates foi lançada em junho deste ano e já fez parceria com a Comissão Europeia, o Banco Europeu de Investimento e o Departamento de Energia dos Estados Unidos. Com isso, o projeto visa quatro eixos iniciais principais: captura direta de carbono, hidrogênio verde, reserva de energia ao longo do tempo e combustíveis menos prejudiciais para o setor aeronáutico.

"Evitar uma catástrofe climática requer uma nova revolução industrial. Metade da tecnologia necessária para atingir a meta de emissões zero ainda não existe ou é muito cara para grande parte do mundo", informou Bill Gates em comunicado.

Energia limpa no Brasil

Os projetos de energia limpa também já estão na ativa entre as empresas brasileiras, como é o caso da EDP Brasil (ENBR3). A companhia anunciou no início deste mês, que investirá R$ 41,9 milhões para a construção de uma usina de hidrogênio verde no Complexo Industrial e Portuário do Pecém, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Como o Mercado1Minuto apontou aqui, a previsão é que a unidade comece a produção no fim de 2022 e tenha capacidade de produzir 250 Nm3/h do gás. Além disso, o valor total investido engloba uma usina solar com capacidade de 3 megawatts (MW) e um módulo eletrolisador para produção do combustível com garantia de origem renovável.

Relacionados:

► Brookfield receberá R$ 1,4 bi do BNDES para financiar o maior complexo de energia solar da América Latina► Petrobras planeja neutralizar emissões de gases do efeito estufa de suas operações

Leia mais: