clique para ir para a página principal

Indústria tem dificuldade em manter retomada e confiança cai pelo segundo mês seguido

Atualizado em -

Indústria tem dificuldade em manter retomada e confiança cai pelo segundo mês seguido Kateryna Babaieva | Pexels
► Confiança do consumidor recua 6,5 pontos e chega ao menor patamar em 5 meses► FGV: confiança da construção fica estável com melhor nível desde 2014

A confiança da indústria caiu pelo segundo mês consecutivo em setembro e mostra a dificuldade do setor em manter a retomada no ano de 2021. Segundo dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira (28), o Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 0,6 ponto em setembro, para 106,4 pontos, segunda queda consecutiva após quatro meses de altas. Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 0,4 ponto.

"As percepções quanto à situação presente e futura vêm oscilando em decorrência de pressões de custo, alto desemprego, instabilidades econômicas e institucionais. Nesse contexto, soma-se ainda a crise hídrica que contribui para elevar a pressão inflacionária e as incertezas quanto à possibilidade de expansão da produção nos próximos meses, tornando mais pessimistas as expectativas para o final do ano principalmente entre os segmentos intensivos no uso de energia elétrica”, explica Claudia Perdigão, economista do FGV IBRE.

De acordo com a FGV, o resultado de setembro é consequência da redução do otimismo em relação aos próximos meses e da acomodação da satisfação em relação ao cenário atual. O Índice Situação Atual (ISA) cedeu 0,2 ponto, para 109,2 pontos, menor valor desde agosto de 2020. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 1,0 ponto para 103,6 pontos, menor patamar desde maio desse ano.

Confiança da construção

Outro indicador importante medido pela FGV, o Índice de Confiança da Construção (ICST), ficou em nível de estabilidade em setembro, variando 0,1 ponto, para 96,4 pontos. Este é o maior nível desde fevereiro de 2014, quando o indicador estava em 96,7 pontos. Em médias móveis trimestrais, é o quarto mês seguido de alta, com 1,3 ponto.

Relacionados:

► Confiança do consumidor recua 6,5 pontos e chega ao menor patamar em 5 meses► FGV: confiança da construção fica estável com melhor nível desde 2014

Leia mais: