clique para ir para a página principal

Raízen investirá R$ 150 milhões na geração de energia a partir de bagaço de cana

Atualizado em -

Raízen investirá R$ 150 milhões na geração de energia a partir de bagaço de cana Pexels
► Raízen faz maior IPO do ano; ações começam a ser negociadas na quinta► Raízen contrata Citigroup como formador de mercado

A Raízen (RAIZ4) anunciou que investirá aproximadamente R$ 150 milhões para a construção de uma nova unidade de geração de eletricidade a partir de cana-de-açúcar, possibilitando o aumento de sua capacidade em 105.000 MWh/ano.

O anúncio foi feito após a empresa ter sido uma das vencedoras no Leilão de Energia Nova A-5, no qual a fonte de biomassa derivada de cana liderou as ofertas. Tal evento foi realizado no dia 30 de setembro, com o objetivo de compra de energia elétrica proveniente de novos empreendimentos.

Consequentemente, a Raízen Energia firmará determinados contratos de comercialização de energia em ambiente regulado pelo preço mínimo de R$ 273/Mwh.

"Essa operação reforça o compromisso da Raízen em disponibilizar aos seus clientes, produtos e soluções que permitam a redução das emissões de gases do efeito estufa, através do aumento da eficiência e da circularidade de seus processos, apoiando a descarbonização da matriz energética global", disse a empresa em comunicado.

Além disso, a Raízen também comunicou que fechou sua primeira venda de longo prazo para a comercialização de gás natural renovável (biometano) com a Yara Brasil Fertilizantes, um dos maiores consumidores de gás natural do Brasil. O contrato possui uma vigência de cinco anos com um volume de 20.000 m³/dia.

De acordo com a companhia, o fornecimento do biometano se dará através do portfólio da Raízen, com resíduos do processo de produção de etanol, vinhaça e torta de filtro, nos parques de bioenergia do grupo. A Yara utilizará o gás para a produção de hidrogênio e amônia verde em seus parques industriais.

Juros sobre Capital Próprio

A Raízen também anunciou que seu Conselho de Administração aprovou o pagamento de R$ 168,1 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP) aos acionistas, equivalente a R$ 0,0162239073 por ação, referente ao período de 1º de julho de 2021 a 30 de setembro do mesmo ano.

Como o Mercado1Minuto apontou aqui, segundo o comunicado da companhia, terão direito aos JCP os acionistas com posição acionária no dia 05 de outubro. A partir do dia 6, os papéis da empresa serão negociados “ex-JCP”.

Relacionados:

► Raízen faz maior IPO do ano; ações começam a ser negociadas na quinta► Raízen contrata Citigroup como formador de mercado

Leia mais: