clique para ir para a página principal

Embraer capta mais de US$ 500 milhões pelo BNDES para financiar exportação de 24 jatos

Atualizado em -

Embraer capta mais de US$ 500 milhões pelo BNDES para financiar exportação de 24 jatos Pexels
► Embraer fecha acordo com Helipass para eVTOL e assina contrato de serviços com Alliance► Embraer tem pedido de 100 eVTOL da Avantto, com entrega prevista para 2026

Nesta quinta-feira (7), a Embraer (EMBR3) anunciou o financiamento de mais de US$ 500 milhões pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), para a exportação de 24 jatos comerciais E175 à SkyWest Airlines, dos Estados Unidos.

A linha, do BNDES Exim Pós-embarque, possui desembolsos realizados em reais no Brasil em favor da exportadora (Embraer). Mas nesse tipo de operação, a importadora se responsabiliza com o compromisso de pagamento em dólares ao BNDES. Segundo a companhia, ainda existe um seguro de crédito com cobertura para riscos comerciais, políticos e extraordinários.

“A operação fortalece a produção industrial nacional em um momento em que ela ainda sente os efeitos da pandemia de Covid-19 e ajuda a viabilizar a presença de produtos brasileiros de alta tecnologia no maior e mais competitivo mercado de aviação do mundo”, declarou a Embraer em comunicado.

Em nota, o diretor de Crédito Produtivo e Socioambiental do BNDES, Bruno Aranha, declarou apoio a fabricante de aviões na retomada do crescimento de suas vendas. Para ele, o momento atual é o maior desafio enfrentado na história do setor aeronáutico.

Conforme os levantamentos da Embraer, o mercado americano tem se recuperado. Em maio de 2020, a quantidade de voos correspondia a 24% do mesmo período do ano anterior, recuperando 80% em maio deste ano.

“A aviação regional tem desempenhado um papel extremamente relevante na recuperação dos voos comerciais em todo o mundo e isso tem beneficiado os jatos da Embraer, que são os mais eficientes da indústria”, explicou Antonio Carlos Garcia, Vice-Presidente Executivo Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer.

Demanda alta

No final de agosto deste ano, a Embraer informou que aproximadamente 1,5 mil novas aeronaves de até 150 assentos serão necessárias na China até 2040, sendo 77% para atender à expansão do mercado e 23% como substituição. Os dados foram levantados em um estudo de mercado que a companhia apresentou no Zhuhai Airshow, a 13ª Exposição Internacional de Aviação Aeroespacial da China, com base na demanda de passageiros por viagens aéreas pós-pandemia.

Como o Mercado1Minuto registrou aqui, de acordo com a Embraer, atualmente, existem 91 E-Jets em operação na China, em 550 rotas, conectando 150 cidades e transportando cerca de 20 milhões de passageiros por ano. Segundo eles, a receita média em número de passageiros por quilômetros (RPK) na aviação civil chinesa deverá crescer a uma taxa média de 4,7% ao longo da próxima década.

“Acreditamos que futuramente o mercado chinês de aviação será o maior do mundo", afirmou o presidente e CEO da Embraer Aviação Comercial, Arjan Meijer.

Relacionados:

► Embraer fecha acordo com Helipass para eVTOL e assina contrato de serviços com Alliance► Embraer tem pedido de 100 eVTOL da Avantto, com entrega prevista para 2026

Leia mais: