clique para ir para a página principal

Prévia da Plano&Plano aponta crescimento de 73% no ano

Atualizado em -

Prévia da Plano&Plano aponta crescimento de 73% no ano Divulgação/ B3
► JFL, construtora de imóveis de luxo, registra pedido de IPO na CVM► Bancos privados se antecipam ao BC e elevam os juros do crédito imobiliário

A Plano&Plano (PLPL3) informou ao mercado que na prévia dos resultados operacionais do 3º trimestre de 2021, as vendas líquidas da companhia somaram R$ 326,5 milhões, valor 45,3% superior ao registrado no mesmo período de 2020.

O comparativo entre os anos de 2020 e 2021 mostrou o crescimento de 73,3% no acumulado anual de vendas, o que significa um total de R$ 590,1 milhões em 2020. No terceiro trimestre, as vendas somaram R$ 326,5 milhões, valor 45,3% superior ao registrado no mesmo período de 2020, que foi R$ 224,6 milhões.

A prévia operacional mostrou que o indicador de Vendas Sobre Oferta (VSO) dos últimos 12 meses foi de 43,0%, alta de 6 pontos percentuais em comparação ao mesmo período de 2020, quando o indicador era de 37%. De acordo com a companhia, essa alta refle o bom desempenho comercial e resultando no maior crescimento nas vendas em comparação com o estoque.

Em relação ao estoque, a Plano&Plano encerrou o terceiro trimestre com 8.392 unidades e um VGV (valor geral de vendas) de R$ 1,8 bilhões em estoque, o que representa um aumento de 3,4% em unidades e 5,8% em VGV.

”Tal resultado reflete o lançamento de empreendimentos adequados ao público alvo de cada região e uma gestão contínua das vendas, adequando parâmetros comerciais e foco das equipes”, finaliza a companhia em comunicado.

Resultados 2T21

No segundo trimestre de 2021 o lucro líquido da companhia atingiu R$17,6 milhões, e no acumulado do semestre atingiu R$ 67,6 milhões, apresentando um aumento de 37,0% em relação ao 1º semestre de 2020.

Houve um crescimento de 40,2% no EBITDA ajustado na comparação semestral, partindo de R$76,9 milhões no 1S20 e atingindo R$107,8 no 1S21. Já no segundo trimestre de 2021, o EBITDA ajustado totalizou R$38,9 milhões, uma redução de 10,5% em relação ao trimestre anterior, resultado do aumento dos custos de matéria prima e das maiores despesas no trimestre.

Já dívida líquida atingiu R$98,5 milhões ao final do trimestre, 13,7% inferior aos R$114,2 milhões registrados no ano anterior. A relação dívida líquida sobre patrimônio líquido passou de 0,79 em 30 de junho de 2020 para 0,34 em 30 de junho de 2021, em consequência da redução da dívida líquida e aumento do patrimônio líquido.

Relacionados:

► JFL, construtora de imóveis de luxo, registra pedido de IPO na CVM► Bancos privados se antecipam ao BC e elevam os juros do crédito imobiliário

Leia mais: