clique para ir para a página principal

Nasdaq recebe autorização da CVM americana para negociar primeiro ETF em Bitcoin dos EUA

Atualizado em -

Nasdaq recebe autorização da CVM americana para negociar primeiro ETF em Bitcoin dos EUA Envato
► China declara todas transações com criptomoedas como ilegais no país► Comissão da Câmara analisa projeto para fiscalização do BC nas operações de criptomoedas

A bolsa de Nasdaq recebeu autorização da Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA, a agência regulatória americana, para listar na bolsa o primeiro fundo de índice (ETF) de criptomoedas dos Estados Unidos.

Segundo informações divulgadas na tarde de hoje pela SEC e pela gestora do fundo Valkyrie, a taxa de administração do novo ETF será de 0,4%, com aplicação mínima de US$ 25 (cerca de R$ 100).

O Valkyrie Bitcoin Trust terá o ticker de negociação "BTCV" e foi registrado segundo o 'Ato de 1940'. Significa que a agência regulatória exige da gestora uma proteção extra para investidores por considerar os ativos que compõem o fundo como de alto risco.

Mais cedo, um tuíte da própria CVM americana gerou grande expectativa nos investidores do mercado de criptomoedas.

Impacto no preço

O preço do Bitcoin teve um novo movimento de alta de ontem para hoje (15), após reportagem da agência de notícias Bloomberg informar que um ETF de futuros da principal criptomoeda poderia ser aprovado em breve pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

A SEC ainda avalia cerca de 40 solicitações de registro de ETFs de Bitcoin e o prazo final para diversos destes produtos vinculados a futuros acaba na semana que vem. Segundo reportagem da Bloomberg, a expectativa é a de que o órgão regulador aprove alguns deles, inaugurando um caminho para o início da negociação dos ETFs de criptoativos nos Estados Unidos.

A agência de notícias americana aponta que as solicitações das empresas ProShares e da Invesco estão entre as companhias com maiores chances de receberem uma aprovação do órgão regulador na próxima semana.

ETFs de futuros de Bitcoin são diferentes de ETFs da própria criptomoeda, pois são baseados em contratos futuros e precisam cumprir regras de fundos mútuos.

Na página da SEC, a agência americana define "contrato futuro" como "um acordo de compra ou venda para uma quantidade específica de Bitcoin a um preço especifico para uma dada específica no futuro. Nos EUA, o Bitcoin é considerado commodity e a negociação de [contratos] futuros de commodities deve ocorrer nas bolsas regulamentadas e supervisionadas pela CFTC".

Após a divulgação dessas últimas informações no noticiário internacional, o preço do Bitcoin já subiu mais de US$ 3 mil e ultrapassou à marca dos US$ 60.500 mil, às 13h30 (horário de Brasília).

Relacionados:

► China declara todas transações com criptomoedas como ilegais no país► Comissão da Câmara analisa projeto para fiscalização do BC nas operações de criptomoedas

Leia mais: