clique para ir para a página principal

Com investimento de US$ 10 bilhões, Xiaomi confirma produção de carros elétricos a partir de 2024

Atualizado em -

Com investimento de US$ 10 bilhões, Xiaomi confirma produção de carros elétricos a partir de 2024 Divulgação / Xiaomi
► XINA11: entenda como funciona o ETF de ações das principais empresas listadas na bolsa chinesa► Produção industrial cai pelo terceiro mês seguido; recuo foi de 0,7% em agosto

O CEO da Xiaomi (1810), Lei Jun, confirmou na terça-feira (19) que a marca chinesa irá produzir seus próprios carros elétricos a partir do primeiro semestre de 2024.

A informação foi revelada em um evento para investidores, quando o executivo afirmou que a produção em massa dos automóveis será iniciada daqui 3 anos. Zang Ziyuan, diretor do departamento de marketing internacional, também confirmou a notícia publicando um anúncio em sua conta na rede social Weibo.

O anúncio mostra o avanço da companhia no setor de veículos elétricos da Xiaomi, apresentada formalmente pelo grupo no início deste ano. Já em movimento para alcançar seus novos objetivos, em junho a empresa havia disponibilizado 20 vagas para expandir a área. As oportunidades foram abertas em Pequim, na China.

Investimento

Em março deste ano, a Xiaomi apresentou um plano para a criação de sua divisão de carros elétricos e anunciou um investimento de US$ 10 bilhões no decorrer dos próximos dez anos para o lançamento do projeto. A nova subsidiária do mercado automotivo da companhia também será comandada por Lei Jun.

"A companhia irá constituir uma subsidiária integral para operar o negócio de veículos elétricos inteligentes. A Xiaomi espera oferecer veículos elétricos inteligentes de qualidade para permitir que todos no mundo tenham uma vida inteligente a qualquer hora e em qualquer lugar”, afirmou a companhia no início do ano.

Sobre o futuro automóvel da companhia, o executivo compartilhou em suas redes socais que o carro será um sedan ou SUV, podendo variar de 100.000 iuanes, que equivale por volta de R$ 86 mil e 300.000 iuanes, mais ou menos R$ 258 mil.

Relacionados:

► XINA11: entenda como funciona o ETF de ações das principais empresas listadas na bolsa chinesa► Produção industrial cai pelo terceiro mês seguido; recuo foi de 0,7% em agosto

Leia mais: