clique para ir para a página principal

Marfrig anota lucro líquido de R$ 1,675 bilhão no 3º trimestre (+ 148% em 1 ano)

Atualizado em -

Marfrig anota lucro líquido de R$ 1,675 bilhão no 3º trimestre (+ 148% em 1 ano) Bernadett Szabo | Reuters
► Cade poderá reabrir a análise da aquisição de ações da BRF pela Marfrig► Com alta de 57%, Neoenergia registra lucro de R$ 1,281 bilhão no terceiro trimestre de 2021

(Estadão Conteúdo) - A Marfrig Global Foods (MRFG3) encerrou o terceiro trimestre de 2021 com lucro líquido de R$ 1,675 bilhão, alta de 148,7% ante o registro de R$ 674 milhões em igual período do ano passado, informou a companhia nesta terça-feira (26). O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) foi de R$ 4,658 bilhões, avanço de 117,1% ante o 3TRI20. O Ebtida ajustado avançou 115,6%, de R$ 2,196 bilhões no mesmo trimestre do ano passado para R$ 4,734 bilhões este ano. Além disso, a margem do Ebitda ficou em 20%, ante 13% um ano antes. Já a receita líquida foi recorde e aumentou 40,4% no período de julho a setembro, de R$ 16,83 bilhões em 2020 para R$ 23,63 bilhões em 2021.

De acordo com a empresa, a dívida líquida caiu 19,9%, de RS 17,14 bilhões para RS 13,73 bilhões no período. O custo médio da dívida diminuiu de 5,89% ao ano no terceiro trimestre de 2020 para 5,46% ao ano em igual trimestre deste ano, e o prazo de pagamento da dívida foi alongado de 4,15 anos para 4,97 anos. Dessa forma, a alavancagem, medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado, passou de 1,45 vez no segundo trimestre de 2021 para 1,10 vez em reais e 1,07 vez em dólares no terceiro trimestre deste ano, o nível mais baixo da história da companhia.

O fluxo de caixa operacional da companhia foi positivo em R$ 4,721 bilhões. Após o pagamento de juros e de capex de investimentos, o fluxo de caixa livre ficou em R$ 3,770 bilhões de reais. A Marfrig informou, ainda, que realizou pagamentos de dividendos intermediários, de forma antecipada, no valor de R$ 958,4 milhões, um dividend yeld de 7%.

A operação América do Norte, capitaneada pela National Beef, foi, novamente, protagonista dos resultados da empresa. O segmento foi beneficiado pela oferta abundante de gado e forte demanda por carne bovina, em meio à recuperação do food service, da permanência dos estímulos financeiros do governo federal e da sazonalidade do período. A unidade registrou receita líquida recorde de R$ 16,7 bilhões (US$ 3,2 bilhões) no terceiro trimestre, avanço de 38,9% em relação a igual período do ano passado.

No período de julho a setembro, o volume total comercializado pela unidade de negócio foi de 516 mil toneladas, aumento de 0,6% na comparação interanual. Do total, 441 mil toneladas foram destinadas ao mercado interno dos EUA, enquanto 75 mil toneladas foram para exportação.

Já a Operação América do Sul, que engloba Brasil, Argentina, Uruguai e Chile, ainda enfrenta desafios. A receita líquida da unidade subiu 44,1%, de R$ 4,793 bilhões no terceiro trimestre de 2020 para R$ 6,909 bilhões no mesmo período deste ano. "A performance é recorde para a operação e é explicada pelo aumento de 36,8% no preço médio total de vendas", justificou a companhia, em nota enviada à imprensa.

O volume de vendas cresceu 5,4%, de 370 mil toneladas para 390 mil toneladas. Do total, 241 mil toneladas ficaram no mercado doméstico, enquanto as outras 149 mil toneladas foram exportadas. No período, as exportações cresceram 8,3%. "As exportações representaram 62% da receita da operação. Aproximadamente 64% do total das receitas de exportação foram destinadas à China e a Hong Kong", afirmou a Marfrig. O lucro bruto da operação somou R$ 571 milhões, 21,4% a menos do que os R$ 727 milhões reportados no terceiro trimestre do ano passado.

Relacionados:

► Cade poderá reabrir a análise da aquisição de ações da BRF pela Marfrig► Com alta de 57%, Neoenergia registra lucro de R$ 1,281 bilhão no terceiro trimestre de 2021

Leia mais: