clique para ir para a página principal

Pesquisa do IBGE aponta inflação de 0,40% nos preços ao produtor

Atualizado em -

Pesquisa do IBGE aponta inflação de 0,40% nos preços ao produtor Tomohiro Ohsumi/Bloomberg
► Desemprego recua para 13,2% entre junho e agosto; população ocupada subiu 4% no período► Prévia da inflação fica em 1,20% em outubro

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação de preços de produtos na saída das fábricas, subiu 0,40% em setembro, menor aumento desde dezembro do ano passado e bem abaixo da taxa de 1,89% registrada em agosto sobre julho. Esses dados foram divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Esse resultado teve influência da queda de 16,48% nos preços das indústrias extrativas, que tirou 1,24 ponto percentual da variação do índice completo. Foi a maior queda percentual desde março de 2020 , quando teve um recuo de 17,12%, e a maior variação dentre as atividades.

Neste ano, os preços ao produtor acumulam acréscimo de 24,08% na inflação. Em 12 meses, o acumulado é de 30,59%, resultado abaixo dos 33,12% registrados em agosto de 2021.

No mês de agosto, 20 das 24 atividades industriais analisadas tiveram inflação, entre elas a maiores foram: alimentos com 2,48%, outros produtos químicos com alta de 4,41% e refino de petróleo e produtos de álcool em 1,82%. Já o destaque negativo ficou para indústrias extrativas com recuo de 16,48%.

Em contrapartida, houve baixa de 0,27% nos preços ao produtor relativos a bens intermediários. Bens de capital subiu 1,30%, enquanto os preços ao produtor para bens de consumo duráveis tiveram alta de preços de 0,73%, as máquinas e equipamentos subiram 1,30% e os bens de consumo semi e não duráveis cresceram 1,49%.

Relacionados:

► Desemprego recua para 13,2% entre junho e agosto; população ocupada subiu 4% no período► Prévia da inflação fica em 1,20% em outubro

Leia mais: