clique para ir para a página principal

Bolsa brasileira fecha em queda de -2,09% e volta ao menor patamar de 2021

Atualizado em -

Bolsa brasileira fecha em queda de -2,09% e volta ao menor patamar de 2021 Envato
► B3 atinge 4 milhões de contas em renda variável; Como fazer para rentabilizar seu patrimônio?► Produção industrial cai 0,4% na passagem de agosto para setembro, aponta IBGE

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

Clique e fale com um especialista VLG Investimentos

O Ibovespa encerrou o dia em queda de -2,09% cotado aos 103.412 pontos. Mais uma vez, o índice ficou abaixo dos 104 mil pontos - chegando até mesmo a oscilar na casa dos 102 mil. O mercado financeiro voltou a se estressar ao perceber que a PEC que adia o pagamento de precatórios, abrindo espaço no Orçamento, pode ter dificuldades para avançar. A PEC passou em primeiro turno no plenário da Câmara, mas a votação foi contestada pelo PDT.

O partido questionou o Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a constitucionalidade da decisão, já que houve mudança no regimento da Casa para que parlamentares que estavam fora do país, em missão oficial, também pudessem votar de forma remota.

Além disso, as ações de maior peso do Ibovespa também voltaram a cair hoje como Petrobras (PETR4) , Vale (VALE3) e bancos.

Em Nova York (EUA), a maioria das bolsas fechou em alta com exceção da Dow Jones. Foi bem-vinda a notícia de que o Fed (banco central americano) vai desacelerar o ritmo de seu programa de compra de títulos, iniciado em março de 2020, que atualmente está em US$ 120 bilhões mensais.

Enquanto isso, o dólar comercial registra alta de +0,29% a R$ 5,606.

Maiores altas:

  • Getnet GETT11 +7,34% R$ 4,68
  • Minerva BEEF3 +3,88% R$ 10,44
  • Marfrig MRFG3 +2,90% R$ 26,78

Maiores baixas:

  • Ultrapar UGPA3 -8,32% R$ 12,35
  • Rede D'Or RDOR3 -8,25% R$ 57,16
  • Cogna COGN3 -7,96% R$ 2,66

Relacionados:

► B3 atinge 4 milhões de contas em renda variável; Como fazer para rentabilizar seu patrimônio?► Produção industrial cai 0,4% na passagem de agosto para setembro, aponta IBGE

Leia mais: