clique para ir para a página principal

General Electric (GE) anuncia divisão em três empresas listadas na bolsa

Atualizado em -

General Electric (GE) anuncia divisão em três empresas listadas na bolsa AFP / Arquivos
► General Electric aumenta receita e reduz prejuízo no 2º trimestre► Embraer divulga nova linha de aeronaves com tecnologias de propulsão sustentável

Nesta terça-feira (09), o conglomerado americano General Electric (GE) anunciou que separará suas atividades em três empresas diferentes, todas listadas na Bolsa e especializadas em aviação, atendimento de saúde e energia.

"Com a criação de três empresas internacionais, líderes, cada uma pode se beneficiar de uma especialização maior, de um redirecionamento de recursos bem adaptado e de uma flexibilidade estratégica que permita obter um crescimento a longo prazo e valor para os consumidores, os investidores e os funcionários", ressaltou Lawrence Culp, CEO da GE, em comunicado.

A GE afirmou que pretende separar as atividades do conglomerado em três partes:

  • criar no início de 2023 uma nova unidade a partir de sua divisão de saúde, na qual deve manter uma participação de 19,9%;
  • reagrupar as atividades vinculadas às energias renováveis e turbinas eólicas e gás em uma empresa única a partir do início de 2024;
  • após as mudanças, o nome “General Electric" será conservado para uma terceira empresa, especializada no setor aeronáutico.

Culp ainda continuará no comando da GE até a conclusão da divisão de energia e, então, liderará o novo grupo de aviação. Peter Arduini será responsável pela divisão de saúde no início de 2022, Scott Strazik assumirá as empresas de energia e John Slattery ainda continuará com seu papel de diretor administrativo da unidade de aviação.

A agência de classificação S&P Global afirmou que consideraria reduzir a pontuação da GE, com o pensamento de que a separação em três entidades deixaria o grupo “menos diversificado”.

A GE foi criada no fim do século XIX por Thomas Edison e é um dos grupos símbolos da indústria americana, com presença em diversos setores, como o de transporte às finanças, comunicação e computação. Afetado pela crise de 2008 da “subprime”, o conglomerado enfrentou uma reestruturação e uma enorme dívida nos últimos anos.

Em 2018, o grupo saiu do Dow Jones Industrial Average, índice de referência em Wall Street, que integrou por 111 anos. Em outubro deste ano, apresentou resultados trimestrais satisfatórios, impulsionado em particular pelo forte aumento do lucro no setor de aviação.

Relacionados:

► General Electric aumenta receita e reduz prejuízo no 2º trimestre► Embraer divulga nova linha de aeronaves com tecnologias de propulsão sustentável

Leia mais: