clique para ir para a página principal

Eletrobras prevê privatização até maio de 2022, diz CEO

Atualizado em -

Eletrobras prevê privatização até maio de 2022, diz CEO Divulgação / Eletrobras
► Decreto cria estatal para assumir Eletronuclear e Itaipu após venda da Eletrobras► Conselho do PPI aprova modelo de privatização da Eletrobras

O presidente da Eletrobras (ELET3; ELET6), Rodrigo Limp, apontou nesta quarta-feira (17) a atualização do cronograma para a privatização da estatal, prevendo agora que a operação de “follow-on” aconteça até maio do próximo ano.

Anteriormente, a companhia estimava para o primeiro trimestre de 2022 a oferta de ações que deverá diluir a participação da União na empresa. Segundo o executivo, a atualização aconteceu após decisão de efetuar a operação com base nos dados do quarto trimestre de 2021, gerando um prazo de até 134 dias para que ocorra.

O presidente da estatal ainda ressaltou que a empresa deve finalizar em novembro a contratação do sindicato de bancos para estruturação da operação de "follow-on" e de distribuição do volume de ações a ser emitido pela companhia, em meio ao processo de desestatização.

Em agosto deste ano, Limp havia ponderado que o cronograma que previa o “follow-on” em fevereiro era "desafiador''.

3T21

A Eletrobras (ELET3; ELET6) divulgou seu balanço do 3T21 e registrou lucro líquido de R$ 964,561 milhões, 65,7% abaixo do lucro de R$ 2,814 bilhões de um ano antes. Segundo a empresa, a queda ocorreu por ajustes na contabilização de provisões para contingências no montante de R$ 9,434 bilhões.

Conforme o balanço da Eletrobras, a revisão das estimativas de provisionamento de empréstimo compulsório, totalizando cerca de R$ 8,926 bilhões no terceiro trimestre deste ano, vieram após julgamento pelo STJ de Agravo Interno no Recurso Especial nº 1.734.115/PR e às recentes homologações de laudos desfavoráveis no exercício de 2021.

De acordo com a empresa, o resultado teve como ponto positivo o segmento de transmissão, por conta, principalmente, da contabilização dos contratos renovados pela Lei 12.783/2021, como resultado do reperfilamento do componente financeiro da RBSE, no montante de R$ 4.859 milhões.

Relacionados:

► Decreto cria estatal para assumir Eletronuclear e Itaipu após venda da Eletrobras► Conselho do PPI aprova modelo de privatização da Eletrobras

Leia mais: