clique para ir para a página principal

Méliuz tem prejuízo de R$ 2,95 milhões no 3T21; lucro da Stone cai 54%

Atualizado em -

Méliuz tem prejuízo de R$ 2,95 milhões no 3T21; lucro da Stone cai 54% Divulgação
► Stone compra participação minoritária do Reclame AQUI► Temporada de resultados: por que você deve ficar de olho no desempenho das empresas?

A Méliuz (CASH3) divulgou seus dados do 3T21 e informou que registrou prejuízo líquido de R$ 2,95 milhões no período. O resultado reverte o lucro de R$ 4,733 milhões que foi informado no terceiro trimestre de 2020. A empresa encerrou o trimestre com resultado financeiro negativo em R$ 5,649 milhões.

O Ebitda ajustado consolidado da Méliuz de julho a setembro ficou negativo em R$ 9,9 milhões.

A receita líquida da companhia cresceu 8% em relação ao segundo trimestre deste ano, para R$ 58,7 milhões. Em relação ao terceiro trimestre de 2020, o crescimento da receita líquida foi de 129%.

Em relação à base de usuários, a Méliuz finalizou o 3T21 com um total de 20,8 milhões de contas abertas, avanço de 2 milhões em relação ao 2T21, quando a base era de 18,8 milhões de contas, e alta de 9,1 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior, quando a empresa tinha 11,6 milhões de usuários.

Stone

A Stone (STOC31) também divulgou seus resultados do terceiro trimestre de 2021 e informou que teve lucro líquido ajustado de R$ 132,7 milhões, número que representa queda de 54% na comparação com o mesmo trimestre de 2020. Segundo a companhia, a reestruturação dos produtos de crédito e a alta da taxa Selic são os principais responsáveis pelo resultado.

Apesar do recuo no lucro, a base de clientes da Stone na vertical de pagamentos chegou a 1,388 milhão, alta de 34% em um trimestre e de 107% em um ano.

Entre julho e setembro, a companhia teve receitas totais de R$ 1,470 bilhão, alta de 57,2% em relação ao mesmo período do ano passado. O Market share saiu de 10,6% no primeiro trimestre deste ano para 12,7% no terceiro trimestre.

As receitas financeiras chegaram a R$ 607,7 milhões no 3T21, avanço de 32% na comparação com 2020. Já o custo dos serviços subiu 152%, para R$ 525,6 milhões. As despesas administrativas tiveram alta de 238%, para R$ 359,8 milhões, e as despesas com vendas subiram 121%, para R$ 308,2 milhões.

Relacionados:

► Stone compra participação minoritária do Reclame AQUI► Temporada de resultados: por que você deve ficar de olho no desempenho das empresas?

Leia mais: