clique para ir para a página principal

Bradesco anuncia linha de crédito de R$ 75 bilhões para pequenas e médias empresas

Atualizado em -

Bradesco anuncia linha de crédito de R$ 75 bilhões para pequenas e médias empresas André Dusek / Estadão Conteúdo
► Bradesco compra participação restante de 49,99% em Banco Digio do Banco do Brasil► Bradesco fecha 3T21 com lucro líquido recorrente de R$ 6,8 bilhões, 34,5% superior a 2020

Nesta quinta-feira (18), o Bradesco (BBDC4) anunciou a abertura de uma linha de crédito pré-aprovado no total de R$ 75 bilhões direcionados para o segmento de pequenas e médias empresas, com taxas a partir de 0,90% ao mês.

De acordo com a instituição bancária, o objetivo é suprir as necessidades da demanda de final de ano das pequenas e médias empresas por capital de giro, antecipação do 13º salário e a retomada dos negócios no pós-pandemia.

Em nota, o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Jr., ressalta que a motivação é de atender a demanda de clientes neste primeiro Natal de queda dos indicadores da pandemia, além de acelerar um segmento que tem grande peso na criação de empregos no Brasil.

As pequenas empresas são uma parte importante da expansão da carteira do Bradesco, com crescimento de 35,3% nos últimos 12 meses, segundo o banco. O segmento ficou acima da registrada pelo restante da carteira, de 16,4%.

O banco disponibilizará o acesso à linha de crédito pré-aprovado por meio de suas agências físicas de varejo e canais digitais, como o Internet Banking e o próprio aplicativo para smartphones.

Internacionalização

De acordo com o presidente-executivo do Bradesco, o banco está considerando expandir suas operações digitais para países como Estados Unidos e México. Segundo ele, existem muitas oportunidades que a instituição bancária vai aproveitar.

O planejamento do banco acontece no momento em que fintechs como o Nubank estão sendo grandes rivais dos grandes bancos no Brasil, expandindo seu negócio pela América Latina.

O Bradesco é responsável pela operação de três bancos digitais: Next, Digio e Bitz. Em conferência, Lazari disse que não tem planos de integrá-los, porque isso poderia prejudicar a prospecção de clientes.

O presidente-executivo do Bradesco ressaltou que a unidade de cartões de crédito do banco no México, onde existem 2,8 milhões de clientes, tem tido um bom desempenho e pode ser utilizada como plataforma para um banco digital.

Relacionados:

► Bradesco compra participação restante de 49,99% em Banco Digio do Banco do Brasil► Bradesco fecha 3T21 com lucro líquido recorrente de R$ 6,8 bilhões, 34,5% superior a 2020

Leia mais: