clique para ir para a página principal

Petrobras oferece R$ 558,2 milhões por área em Porto de Santos que previa lance mínimo de R$ 1

Atualizado em -

Petrobras oferece R$ 558,2 milhões por área em Porto de Santos que previa lance mínimo de R$ 1 Paulo Whitaker / © Reuters
► Petrobras atinge alavancagem competitiva e avalia pagar mais dividendos► Vibra Energia registra lucro líquido de R$ 598 milhões, alta de 79%

Nesta sexta-feira (19), a Petrobras (PETR4) resolveu problemas logísticos que tinha na movimentação de combustíveis no Porto de Santos. A estatal foi a vencedora no leilão de uma área no terminal pela qual ofereceu outorga de R$ 558,25 milhões, em um contrato de 25 anos.

A Petrobras foi a única proponente no leilão da área STS08A no Porto de Santos, que tinha o valor de R$ 1 definido em edital como preço mínimo. A estatal prevê um investimento de R$ 678 milhões, com a construção de dois novos berços de atracação.

Os representantes do governo que estavam presentes no leilão afirmaram que o certame realizado na sexta-feira foi o maior já realizado no setor portuário no país nos últimos 20 anos. Limitada capacidade de movimentação de granéis líquidos é um dos principais gargalos do Porto de Santos.

A área vizinha à STS08A, STS08, não teve interessados e o Ministério da Infraestrutura ressaltou que a mesma será reavaliada para ser colocada em leilão futuramente.

De acordo com Andrea Damiani, gerente executiva de desenvolvimento de negócios de logística da Petrobras, até agora a estatal vinha tendo que trabalhar na área através de renovação de contratos a cada seis meses.

“Isso encerra um capítulo muito complexo…São quatro refinarias conectadas a este terminal em Santos e este leilão era muito esperado. Temos agora 25 anos de estabilidade jurídica”, ressaltou a executiva após o leilão.

A gerente explicou que a operação de quatro refinarias da empresa no estado de São Paulo dependem do terminal para escoamento de derivados.

“A Petrobras veio preparada para uma competição. Não tínhamos como saber antes quantas ofertas e os valores nos envelopes”, disse Damiani.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, presente no leilão, afirmou que desde 2019 o país soma “quase R$ 14 bilhões em investimento contratado em terminais portuários” e reiterou que o governo trabalha com a perspectiva do leilão da companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) no primeiro trimestre de 2022. Além disso, o executivo disse que durante a ida da comitiva brasileira aos Emirados Árabes, a privatização do Porto de Santos foi o tema mais discutido pela pasta junto a potenciais interessados.

Relacionados:

► Petrobras atinge alavancagem competitiva e avalia pagar mais dividendos► Vibra Energia registra lucro líquido de R$ 598 milhões, alta de 79%

Leia mais: