clique para ir para a página principal

Carrefour congela preços de produtos da sua marca

Atualizado em -

Carrefour congela preços de produtos da sua marca Divulgação / Carrefour
► Assaí estima investimento de R$ 30 milhões a R$ 45 milhões para conversão das 71 lojas do Extra► Lucro líquido ajustado do Carrefour Brasil tem queda de 18% e soma R$ 621 milhões no 3T21

Nesta quinta-feira (25), o Carrefour (CRFB3) congelou os preços de todos os itens de sua marca própria, incluindo alimentos, produtos de limpeza e não-perecíveis. Segundo a varejista, as mercadorias estarão sinalizadas com um selo exclusivo de congelamento, facilitando a identificação dos clientes.

De acordo com a empresa, a ação reforça o comprometimento com o acesso à alimentação.

“O Carrefour está no Brasil há 46 anos e entende o seu compromisso com a população do país. Sabemos o quão delicado este momento é para todos e, por isso, continuamos trabalhando incansavelmente para que os nossos clientes consigam ter acesso a produtos de qualidade e com um preço acessível”, declarou Joaquim Sousa, diretor comercial do Carrefour Brasil.

Os produtos de marca própria que terão seus preços congelados são da marca “Carrefour”, Viver, Carrefour Bio, Veggie, Mercado, Classic, Sabor & Qualidade, Selection, Soft, Men, My Baby, Essential, Expert, Home, Companino, Care e Original.

Segundo a companhia, a operação contempla produto que passaram por algum processo de industrialização e inclui itens essenciais para o dia a dia das pessoas, como arroz, feijão, macarrão, leite, pães, fraldas, produtos de higiene, proteínas animais (ovos e carnes de frango, bovina e suína) frutas, legumes e vegetais.

O congelamento é válido do dia 4 de novembro deste ano até o dia 10 de janeiro do ano que vem em todos os formatos físicos do Carrefour, sendo eles Hiper, Bairro, Market e Express, e também para compras de mercado online pelo site oficial ou aplicativo “Meu Carrefour”.

No mês de abril deste ano, em outra operação realizada com o mesmo objetivo, a empresa ofereceu uma lista de 11 produtos essenciais vendidos a preços mais baixos, sendo que a economia em alguns itens chegava até 30%.

BIG

Como o Mercado1Minuto registrou aqui, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) considerou "complexo" o ato de compra do Grupo BIG pelo Atacadão, empresa afiliada do Grupo Carrefour, e decidiu aprofundar a análise da operação antes de emitir uma decisão sobre o caso.

Em despacho publicado no Diário Oficial da União (DOU), a Superintendência determina a realização de novas diligências para aprofundar análises de pontos que suscitam preocupação concorrencial e analisar as eventuais eficiências econômicas geradas pela operação.

O negócio foi anunciado pelo Carrefour em março, por R$ 7,5 bilhões, e notificado ao Cade em julho. A operação envolve a aquisição, pelo Carrefour, de 386 unidades de varejo de autosserviço, 15 postos de combustíveis e 11 centros de distribuição para realizar atividades atacadistas do BIG.

Relacionados:

► Assaí estima investimento de R$ 30 milhões a R$ 45 milhões para conversão das 71 lojas do Extra► Lucro líquido ajustado do Carrefour Brasil tem queda de 18% e soma R$ 621 milhões no 3T21

Leia mais: