clique para ir para a página principal

Brasil receberá empréstimo de US$ 80 milhões do BID para fortalecer finanças públicas

Atualizado em -

Brasil receberá empréstimo de US$ 80 milhões do BID para fortalecer finanças públicas GettyImages
► Guedes: Reduzimos déficit de 10,5% para 0,5% do PIB, um dia conto o segredo► Indicador de produtividade da indústria cai 1,3%, no 3º trimestre

Nesta sexta-feira (3), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou cerca de US$ 1,65 bilhão em empréstimos para fortalecer as finanças públicas, reativar a economia e melhorar os serviços de saúde em seis países das Américas.

Os recursos, aprovados em oito operações diferentes, são destinados à Argentina, Brasil, Equador, Haiti, Honduras e Uruguai. No entanto, o BID não informou quando os fundos estarão disponíveis para uso dos países.

Em relação ao Brasil, o empréstimo de US$ 80 milhões será direcionado à melhoria da cobertura de água potável e saneamento em Manaus, financiamento de projetos de urbanização, transformação digital e inclusão de gênero e diversidade, segundo o BID.

A Argentina deve utilizar os dois empréstimos, totalizando US$ 500 milhões, para a melhoria do acesso aos serviços públicos de saúde na província de Buenos Aires, além de expandir a capacidade de prevenção, detecção e tratamento da Covid-19 e aprimorar a malha rodoviária.

O Uruguai receberá dois empréstimos, sendo um para impulsionar a recuperação econômica e fiscal pós-pandemia e outro para melhorias na infraestrutura de transporte. Já para o Equador, serão oferecidos cerca de US$ 400 milhões para estimular a reativação econômica sustentável e inclusiva, de acordo com o BID.

O Haiti receberá um financiamento de US$ 60 milhões para projetos para desenvolver melhor a segurança alimentar nas áreas rurais. Em Honduras, o empréstimo de US$ 400 milhões será destinado para fazer frente a desastres naturais e saúde pública.

Relacionados:

► Guedes: Reduzimos déficit de 10,5% para 0,5% do PIB, um dia conto o segredo► Indicador de produtividade da indústria cai 1,3%, no 3º trimestre

Leia mais: