clique para ir para a página principal

Pressionada pela China, DiDi, dona da 99, oficializa sua saída da bolsa Nova York

Atualizado em -

Pressionada pela China, DiDi, dona da 99, oficializa sua saída da bolsa Nova York GettyImages
► Didi Chuxing, dona do aplicativo 99, pode fazer o maior IPO de 2021► China pede plano para que Didi, dona da 99, se retire da Bolsa de Nova York

A DiDi Global, companhia chinesa proprietária da 99Pop, anunciou nesta sexta-feira (3), oficialmente, que está deixando a Bolsa de Valores de Nova York. A decisão ocorreu em um momento de pressões do governo chinês. A empresa havia aberto seu capital há um pouco mais de cinco meses nos Estados Unidos.

A empresa avisou, por meio de fato relevante, que as ações americanas da companhia, ADSs, serão convertidas “em ações livremente negociáveis em outra bolsa de valores reconhecida internacionalmente". Todavia, o conselho autorizou a companhia a listar suas ações ordinárias classe A na Bolsa de Valores de Hong Kong.

Desde que abriu capital nos Estados Unidos, a DiDi está sendo alvo de críticas públicas por parte do governo chinês. De acordo com a Administração de Ciberespaço da China (CAC, na sigla em inglês), a empresa desobedece as regras de privacidade e, devido a isso, traz riscos à cibersegurança do país.

“Após considerações cuidadosas, (DiDi) iniciará o processo de retirada da Bolsa de Nova York a partir de hoje e começará os preparativos para a cotação em Hong Kong”, afirmou a empresa em comunicado.

De acordo com a especialista em Direito chinês na Universidade de Hong Kong, Angela Zhang, “agora as empresas de tecnologia chinesas levarão a sério as questões de segurança de dados” do país.

Em primeiro momento, dentre as possíveis propostas para o futuro da DiDi, estavam a listagem na bolsa de Hong Kong ou uma privatização direta. Em relação à privatização, evitando a resistência direta, a proposta seria de US$ 14 por ação, mesmo valor do IPO (Oferta Pública Inicial).

A decisão levou o índice Hang Seng, de Hong Kong, a fechar levemente no vermelho, em queda de 0,9%, com pressão nas ações de companhias de tecnologia diante dos receios das intervenções de Pequim. Os papéis da Alibaba e da Tencent caíram, respectivamente, 2,61% e 2,32%.

Relacionados:

► Didi Chuxing, dona do aplicativo 99, pode fazer o maior IPO de 2021► China pede plano para que Didi, dona da 99, se retire da Bolsa de Nova York

Leia mais: