clique para ir para a página principal

São Martinho emitirá R$ 1 bi em debêntures incentivadas para investimentos em usinas em SP e GO

Atualizado em -

São Martinho emitirá R$ 1 bi em debêntures incentivadas para investimentos em usinas em SP e GO Agência BNDES de Notícias
► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Cerradinho Bioenergia protocola IPO focada em projeto de R$ 1,4 bi em usina de etanol de milho no MS

Investidores que quiserem aportar na quarta emissão de debêntures incentivadas do grupo São Martinho (SMTO3) têm até o próximo dia 13 de janeiro como data limite de reserva da oferta. A divulgação do resultado do book será no dia 17 de janeiro e a data prevista de liquidação é o dia 03 de fevereiro.

No final do ano passado, o Conselho de Administração da companhia aprovou a distribuição das debêntures simples, não conversíveis em ações e em até duas séries. Está prevista a emissão de 1 milhão de debêntures, com valor nominal unitário de R$ 1 mil, totalizando o montante inicial de R$ 1 bilhão. A empresa já anunciou que existe a possibilidade de aumento de até 20% da quantidade total de debêntures (R$ 200 mil) em caso de excesso de demanda.

Destinada a qualquer tipo de investidor, a primeira série tem o vencimento previsto para 15/01/2032, 10 anos, e a segunda com data limite de 15/01/2037, 15 anos.

"As debêntures, na primeira e segunda série, terão, respectivamente, o prazo de 10 e 15 anos, com juros remuneratórios de 0,40% acrescidos de IPCA+ ao ano ou 5,15% ao ano, o que for maior no fechamento do dia útil imediatamente anterior à data de realização do Procedimento de Bookbuilding, e 0,65% ao ano, acrescidos IPCA+ ou 5,35% ao ano, o que for maior na mesma data", detalhou a empresa em sua oferta.

Segundo a empresa, os juros remuneratórios serão pagos aos detentores dos papéis semestralmente a partir da data de emissão - com pagamentos devidos no dia 15 dos meses julho e janeiro de cada ano. O primeiro pagamento ocorrerá já em 15 de julho de 2022 e o último pagamento ocorrerá na data de vencimento da respectiva série.

Em seu prospecto, a São Martinho comunicou que "os recursos serão destinados ao desenvolvimento, construção e operação de projetos de investimento para financiar operações recorrentes da companhia, por meio da manutenção de canaviais e indústrias das usinas em São Paulo, assim como investimentos em plantio de cana, manutenção de entressafra e equipamentos na usina de Goiás".

Título Verde

Essa oferta foi caracterizada como "Verde" e conta com parecer independente pela Standard & Poor´s Ratings do Brasil, e está alinhado aos princípios elencados pela International Capital Market Association e constantes do Green Bond Principles (GBP) de 2021, na categoria de “energia renovável”, além da respectiva marcação nos sistemas da B3 como título verde. Adicionalmente, para a classificação de risco das debêntures, a empresa obteve rating ‘brAAA’ também pela Standard & Poor´s.

Valorização das terras

Em dezembro, a São Martinho informou que as suas terras próprias, que somam 54.634 hectares, foram avaliadas pela consultoria Deloitte em R$ 4,81 bilhões - uma valorização de 56,2% em relação à última análise divulgada em 2014.

Já em relação à valorização em reais por hectare, o grupo sucroalcooleiro destacou que o crescimento foi de aproximadamente 66,5%, para 88,132 mil reais/ha.

Relacionados:

► O que é bookbuilding e quando é utilizado?► Cerradinho Bioenergia protocola IPO focada em projeto de R$ 1,4 bi em usina de etanol de milho no MS

Leia mais: